Voo Virtual
Olá, seja bem-vindo(a) ao Voo Virtual. Caso ainda não seja membro da nossa comunidade, registre-se, para que possa participar ativamente e ter acesso a todos os conteúdos do site.
Por favor leia as regras do fórum aqui antes de postar, para evitar advertências e suspensão.


[Brasil] Embraer busca remover obstáculos para a fabricação do modelo E-190 Gse_multipart13851

[Brasil] Embraer busca remover obstáculos para a fabricação do modelo E-190

Ir em baixo

[Brasil] Embraer busca remover obstáculos para a fabricação do modelo E-190 Empty [Brasil] Embraer busca remover obstáculos para a fabricação do modelo E-190

Mensagem por Amilckar em Ter 28 Set 2010, 18:43

Embraer busca remover obstáculos para a fabricação do modelo E-190




[Brasil] Embraer busca remover obstáculos para a fabricação do modelo E-190 Emb-190

Um Embraer 190 nas cores da companhia aérea chinesa Kunpeng Airlines. (Foto: Leandro Lorenzini / Cavok)

A Embraer, terceira maior empresa aeronáutica do mundo, continua em busca por manter este posicionamento no ranking global. Uma parte dessa estratégia passa pelas suas operações na China, que atravessam um momento de turbulência com a negociação com o sócio na joint venture que a companhia controla, a Embraer Harbin Aircraft Industry Company, a produção -e consequente salvamento de sua operação chinesa- do E-jet 190, cuja capacidade é de 108 passageiros.

Por se tratar de um setor considerado estratégico pelo governo comunista de Pequim, a participação estatal na sociedade é de 49%. Os demais 51% são detidos pela companhia brasileira. Atualmente, o único modelo que a empresa fabrica por lá é o ERJ-145, de 50 lugares. A Embraer tem como rival local o ARJ-21 da chinesa Avic Commercial Aircraft Company (Acac, na sigla em inglês) cuja capacidade é de 70 a 80 lugares.
A demanda da Embraer -de produzir o 190- é decorrente da perspectiva de entrega da última encomenda do ERJ-145 naquele país, fato que deverá ocorrer no primeiro trimestre de 2011. A empresa não crê em novas vendas da aeronave, pois, para a companhia, aquele mercado está maduro e não tem mais espaço para jatos de 50 lugares.
A capacidade de produção na China é de 15 aeronaves por ano e nunca foi alcançada nos 10 anos em que se encontra no país asiático. De acordo com dados apresentados pela empresa, a ocupação média da fábrica nesse período foi de até 7 unidades entregues por ano.
Apesar de pleitear essa autorização, em 2007 a China assinou um acordo com a maior concorrente da Embraer, a canadense Bombardier, para desenvolver uma versão estendida do modelo que concorre com o ERJ-145, que foi renomeado de ARJ21-900 e cuja capacidade varia de 90 a 149 lugares, o que o coloca frente a frente ao E-190 e até mesmo a modelos mais populares da Boeing, como o 737, e da Airbus, como o A319/A320. A expectativa é de que esse novo jato entre em operação em 2011, quando a Embraer deverá decidir entre manter-se na China ou encerrar essa operação.
Oficialmente a companhia aeronáutica brasileira não comenta o assunto, pois está em fase final de negociação com o governo chinês para definir o futuro da joint venture naquele país. A expectativa é de que essa decisão seja tomada ainda este ano, pois, se a saída for o fechamento da fábrica, essa medida não pode ser implementada em 3 meses. A plataforma do modelo ERJ-145 é a mesma do modelo da família Legacy, da divisão de aviação executiva da Embraer, mas a companhia brasileira possui apenas a autorização para fabricar o modelo utilizado na aviação comercial. Luís Carlos Affonso, vice-presidente de Aviação Executiva disse, durante a feira Labace, em São Paulo, que a empresa não tem planos de levar essa divisão para a China.
Apesar de não comentarem as negociações, na opinião de Tang Wei essas conversas entre o governo chinês e a Embraer devem envolver a transferência de tecnologia da companhia brasileira para a China, pois este país, embora tenha diversas empresas que produzem aviões, ainda não possui um com a capacidade do E-190, que é adequado para a demanda regional chinesa. Na opinião de Wei, nem mesmo o acidente ocorrido em 24 de agosto trouxe ruído à negociação porque o próprio governo divulgou que o erro foi do piloto, que não estava habilitado a comandar aquele modelo de aeronave.
Durante a crise internacional a Embraer perdeu cerca de 50% de seus pedidos do modelo ERJ-145 na China, e desde então a demanda não se recuperou. A empresa não divulga qual é a participação dos negócios da unidade chinesa no total da companhia. Segundo os dados do segundo trimestre deste ano, foram colocadas no mercado mundial apenas três unidades do ERJ-145, cerca de 6% das entregas da divisão de aviação comercial.
Fonte: Maurício Godoi – dci.com.br
Via: http://cavok.com.br/blog/?p=19702

_________________
Carlos Amilckar
[Brasil] Embraer busca remover obstáculos para a fabricação do modelo E-190 Amilckar%252FVV125
Amilckar
Amilckar
Colaborador - Notícias de aviação
Colaborador - Notícias de aviação

Masculino
Inscrito em : 12/10/2009
Mensagens : 11036
Reputação : 512
Idade : 55
Simulador preferido : P3D V3
Emprego/lazer : Militar aposentado
Nacionalidade : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum