Voo Virtual
Olá, seja bem-vindo(a) ao Voo Virtual. Caso ainda não seja membro da nossa comunidade, registre-se, para que possa participar ativamente e ter acesso a todos os conteúdos do site.
Por favor leia as regras do fórum aqui antes de postar, para evitar advertências e suspensão.


[Brasil] Aéreas crescem no vácuo de TAM e Gol Gse_multipart13851

[Brasil] Aéreas crescem no vácuo de TAM e Gol

Ir para baixo

[Brasil] Aéreas crescem no vácuo de TAM e Gol Empty [Brasil] Aéreas crescem no vácuo de TAM e Gol

Mensagem por Amilckar Seg 10 Set 2012, 14:07

Aéreas crescem no vácuo de TAM e Gol


[Brasil] Aéreas crescem no vácuo de TAM e Gol Tam-e-golh


Alberto Komatsu

As três companhias aéreas de médio porte do país, Avianca, Azul e Trip protagonizam um cenário de competição sem precedentes na história da aviação brasileira, avaliam especialistas e executivos ouvidos pelo Valor.

A escolha por cidades de média e baixa densidade populacional, onde o PIB cresce acima do dos grandes centros, é um dos motivos que explicam o crescimento superior ao do setor. Serviços de bordo com mais qualidade e gratuitos, além de maior distância entre os assentos, também contribuem.

As companhias crescem no vácuo das líderes TAM e Gol. De janeiro a julho, Avianca, Azul e Trip, juntas, acumulam taxa média de ocupação dos aviões de 75,36%, ou 5,46 pontos percentuais a mais ante à taxa combinada de TAM e Gol.

Os especialistas, contudo, enfatizam a base de comparação. Com frota menor do que TAM e Gol, qualquer nova aeronave incorporada por Avianca, Azul ou Trip alavanca o crescimento. Eles lembram que TAM e Gol estão reduzindo a oferta, para melhorar a rentabilidade, com o aumento da taxa média e ocupação dos aviões. As empresas de médio porte, portanto, captam passageiros das duas maiores já que parte de seus voos compete diretamente com TAM e Gol. Na Azul, 20% da malha diária de 400 voos compete com o duopólio. Na Trip, com 390 voos diários, a proporção é de um terço.

"A situação financeira faz as empresas repensarem a oferta. As grandes promovem uma oferta maior do que o potencial das cidades, não acompanhando a evolução da demanda, o que leva a taxas de ocupação mais baixas", diz o especialista em aviação da Coppe/UFRJ, Elton Fernandes. "O crescimento da demanda dos aeroportos menores foi mais intenso do que os maiores", afirma.

O vice-presidente comercial e de marketing da Avianca, Tarcisio Gargioni, afirma que a empresa está "com o pé no acelerador". "Temos mais seis aviões para trazer, vamos crescer mais 50% enquanto o mercado deve crescer 7%", diz.

Enquanto TAM estima uma redução de oferta de até 2% em 2012, a Gol prevê um recuo de até 4,5%. A Avianca ampliou de cinco para oito a quantidade de aviões novos na frota, totalizando 34 aeronaves até o fim desde ano, um investimento de US$ 350 milhões. Em 2011, eram 26 aviões.

A taxa média de ocupação dos aviões no país, em julho, alcançou 79,45%, o maior nível histórico para o período, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O mesmo dado no acumulado dos sete primeiros meses do ano, de 71,41%, contudo, está abaixo da média mundial de 78,7%, no mesmo período, e indica que ainda há mais oferta do que demanda.

"A atual taxa de ocupação dos aviões não aponta para uma superoferta. Mas existe um desafio de capacidade que foi implementado num curto prazo por todas as empresas que ainda não foi completamente absorvido pelo mercado", diz o presidente da Trip, José Mario Caprioli, que será o principal executivo da Azul, a empresa resultante da fusão entre a Azul e a Trip.

Segundo Caprioli, a integração das duas aéreas, incluindo os certificados técnicos e operacionais, deverá ser obtida até o fim do primeiro semestre de 2013. Com mais escala, as duas passarão a ter em torno de 120 aeronaves. Ele estima que a atual taxa de crescimento combinado mensal de demanda das duas companhias, de 44,6% em julho, deverá se acomodar num patamar menor, entre 20% e 25%.

"O desempenho histórico da tarifa média nos últimos dez anos mostra que ela caiu pela metade. Falta responsabilidade para encontrar uma tarifa de equilíbrio", diz o assessor econômico do Sindicato Nacional dos Aeronautas, Claudio Toledo. Levantamento de preços de passagem entre Cuiabá e Porto Alegre, onde as cinco empresas operam, mostra diferença de até 76,4%, para um voo no dia 17 e volta no dia 2 de setembro.

"Vemos um ambiente competitivo jamais experimentado no país. A gente vive um momento de expansão das médias empresas e de reflexão da TAM e da Gol. Há uma nova realidade de lutar por escala", diz o diretor de comunicação da Azul, Gianfranco Beting.

Fonte: Valor Econômico
Via: NOTIMP

_________________
Carlos Amilckar
[Brasil] Aéreas crescem no vácuo de TAM e Gol Amilckar%252FVV125
Amilckar
Amilckar
Colaborador - Notícias de aviação
Colaborador - Notícias de aviação

Masculino
Inscrito em : 12/10/2009
Mensagens : 11036
Reputação : 512
Idade : 56
Simulador preferido : P3D V3
Emprego/lazer : Militar aposentado
Nacionalidade : Brasil

Ir para o topo Ir para baixo

Ir para o topo


 
Permissões neste fórum
Você não pode responder aos tópicos