Voo Virtual
Olá, seja bem-vindo(a) ao Voo Virtual. Caso ainda não seja membro da nossa comunidade, registre-se, para que possa participar ativamente e ter acesso a todos os conteúdos do site.
Por favor leia as regras do fórum aqui antes de postar, para evitar advertências e suspensão.


[Brasil] Aeronáutica dá sinal positivo para 2ª pista

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Brasil] Aeronáutica dá sinal positivo para 2ª pista

Mensagem por Fontenele em Qui 13 Ago 2015, 09:29

Foto aérea do Aeroporto Pinto Martins e da Base Aérea mostra a exiguidade
de espaços livres para a construção de uma nova pista de pousos e decolagens


O comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, sinalizou positivamente com a cessão de parte da Base Aérea do Fortaleza para uso do governo do Estado do Ceará. A área é essencial para que o governo "alce voo" nos planos de construção de uma nova pista de pouso e decolagens no Aeroporto Internacional Pinto Martins, condição essencial para continuar na disputa pela atração de um centro de conexão de voos nacionais e internacionais (hub) da TAM, em Fortaleza.

"Não temos nenhum interesse em atrapalhar os interesses do Estado do Ceará. Reconhecemos a importância que a aviação tem para o turismo do Estado", declarou o Brigadeiro ao governador, ao dar o sinal verde para que parte da área seja utilizada pelo Estado.

Segundo a fonte da informação, a Aeronáutica teria solicitado contrapartidas em troca da área a ser cedida, o que poderá ser a construção de melhorias nas instalações atuais da base aérea, em Fortaleza. Contactada, a assessoria de imprensa da Aeronáutica confirma que o comando da pasta estuda o projeto de uso do terreno para construção de uma nova pista para o aeroporto Pinto Martins.

Dúvidas

Apesar da determinação do governador e da boa vontade do brigadeiro, muitos questionamentos e dúvidas técnicas e operacionais pairam sobre o projeto, que ainda não foi divulgado. Uma fonte da Infraero consultada pelo Diário do Nordeste avalia que, sem uma parte do terreno da Base Aérea, não há como se construir um segunda pista, já que é praticamente impossível, por questões de espaço físico, a construção de mais uma pista paralela a existente atualmente.

O técnico da Infraero explica que a Lagoa do Opaia e o grande número de residências habitacionais existentes em área invadida da União, no bairro da Vila União, em região colada às extremidades Oeste do aeroporto, pode inviabilizar a construção de uma nova pista, no sentido Leste-Oeste, já que exigiriam despesas elevadas com desapropriações e até aterro de parte da lagoa, gerando danos ambientais.

Sendo assim, explica a técnica da Infraero, a nova pista teria que ser perpendicular a atual, no sentido Norte-Sul, o mesmo do terreno da Base Aérea. Já para um experiente piloto da Força Aérea Brasileira (FAB) esta alternativa pode até ser viável espacialmente, mas operacionalmente, não. Ele explica que, em Fortaleza, em função da posição e força dos ventos, as aeronaves devem decolar e pousar no sentido leste-oeste.

"Aqui em Fortaleza, uma pista no sentido Norte-Sul, perpendicular a atual, seria inviável, devido os ventos predominantes leste-oeste e fortes", declarou o piloto. Para ele, porém, é possível a construção de uma nova pista paralela a atual pista de taxiamento do Pinto Martins.

Para tanto, esclarece, ela teria que ser construída na área do terminal antigo de passageiros, onde hoje operam terminais de taxi aéreos, além de que a área invadida no Vila União teria de ser desapropriada. "A nova pista terá um custo social, mas Fortaleza precisa dela", defende, lembrando dos benefícios que um hub aéreo traria para a economia da cidade e do Estado.

Zona de proteção

Tanto o técnico da Infraero, quanto o piloto da FAB reconhecem, no entanto, que há outras barreiras que precisam ser observadas, como a existência de prédios e antenas de telecomunicações próximas ao aeródromo, que dificultam pousos e decolagens. "Muitos prédios e antenas estão na zona de proteção", alerta, ressaltando que se houver uma decisão política coletiva todos os impeditivos existentes podem ser superados.

Ele cita, inclusive, que as pistas não necessariamente precisam estar equidistantes 750 metros, uma da outra, bastando que pousos e decolagens não ocorram simultaneamente, mas com espaços de minutos apenas. "Nem Guarulhos (aeroporto) opera simultaneamente", frisa o piloto. Ele alerta, no entanto, para a necessidade de construção de uma pista com cerca de 3.000 metros de extensão, para que possa receber grandes aviões com lotação de passageiros e de carga máximas, e garantir maior viabilidade econômica.

Agenda cheia

Além da ampliação do Aeroporto, Camilo Santana teve agenda cheia, em Brasília, também ontem. Pela manhã participou de reuniões com o secretário do Tesouro Nacional, Marcelo Saintive, e com a presidenta da Caixa Econômica Federal, Miriam Belchior, com quem tratou da liberação de recursos para obras de conjuntos habitacionais do Minha Casa, Minha Vida. Na terceira reunião do dia conversou com o ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues, sobre as obras do Anel Viário e duplicação da CE - 010 (estrada da Sabiaguaba) e da CE - 155,que liga Crato a Farias Brito.

Carlos Eugênio
Repórter

Fonte: Diário do Nordeste

_________________


Placa mãe: Intel® Desktop Board DB75EN   Processador: Intel® Core i5 3470 3,20 GHz   Memória Ram: 8 GB DDR3 1333 MHz   Disco rígido Samsung 1 Tb   Placa de vídeo: Zotac Nvidia GTX750 2048 Mb    Monitor: LG E2250v 21,5 LED   Sistema Operacional: Windows 7 Home Premium 64 bits   Joystick: Mad Catz Cyborg V1 Flight Stick

Fontenele
Coronel
Coronel

Masculino
Inscrito em : 22/07/2011
Mensagens : 1664
Reputação : 227
Idade : 44
Simulador preferido : FSX SE
Emprego/lazer : Técnico em Informática
Nacionalidade : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum