Voo Virtual
Olá, seja bem-vindo(a) ao Voo Virtual. Caso ainda não seja membro da nossa comunidade, registre-se, para que possa participar ativamente e ter acesso a todos os conteúdos do site.
Por favor leia as regras do fórum aqui antes de postar, para evitar advertências e suspensão.


[Brasil] Apesar de atraso, Infraero garante 'antineblina' no Salgado Filho até Copa

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Brasil] Apesar de atraso, Infraero garante 'antineblina' no Salgado Filho até Copa

Mensagem por Amilckar em Sex 28 Mar 2014, 12:22

Apesar de atraso, Infraero garante 'antineblina' no Salgado Filho até Copa
Equipamento ampliará condições de pouso e decolagem sob neblina.
Obras foram concluídas, mas sistema precisa ser revisado e homologado.

Neblina e responsável por constantes fechamentos do Salgado Filho (Foto: João Laud/RBS TV)

Apesar de atrasos no cronograma e do prazo apertado, o novo Sistema de Pouso por Instrumento do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, será implantado até a Copa do Mundo. A garantia é da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). Não há previsão, no entanto, da data exata do início das operações.  
Segundo a Infraero, as obras de adequação da pista e a instalação dos equipamentos do Instrument Landing System de categoria 2 (ILS 2, na sigla em inglês) foram encerradas em fevereiro. O último prazo divulgado era dezembro, mas as chuvas provocaram atrasos, diz a empresa responsável pela administração do terminal. Agora os contratos estão em fase de recebimento, isto é, de verificação de eventuais pendências antes da conclusão oficial.
Com custo total de R$ 46,5 milhões, o ILS 2 vai ampliar as condições de pousos e decolagens em condições de baixa visibilidade e evitar que o Salgado Filho continue refém da neblina durante o outuno e inverno, época que coincidirá com a realização da Copa no país. Em 2013, o mau tempo provocou o fechamento do aeroporto por mais de 108 horas.
Atualmente, o Salgado Filho opera com o ILS 1, que não permite pousos com teto (distância entre a camada de nuvens e o solo) inferior a 60,9 metros e visibilidade horizontal de 800 metros. O ILS 2 reduzirá esses números pela metade: 30,4 e 400 metros, respectivamente.
O problema é que, após sucessivos atrasos, a Infraero terá que correr contra o relógio para aprontar tudo antes da Copa. Isso porque o sistema ainda terá de ser testado pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), órgão vinculado à Aeronáutica, e depois homologado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). 
Em dezembro passado, o superintendente da Infraero na Região Sul, Carlos Alberto da Silva Souza, disse ao G1 que pretendia pedir a homologação do ILS 2 para a Anac ainda em 2013 e que seriam necessários de 60 a 90 dias para a conclusão do processo. A Copa do Mundo começa em 12 de junho, daqui a exatos 76 dias.
O coordenador do curso de Ciências Aeronáuticas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Hildebrando Hoffman, explica a importância e a demora da homologação do ILS 2. “Todo o sistema precisa ser aferido, ajustado. Para fazer isso, são necessários vários voos com aviões-laboratório do Grupo Especial de Inspeção em Voo (GEIV). Além disso, as cartas do aeródromo precisam ser atualizadas e depois distribuídas para empresas e aviadores", explica.
Mesmo que o ILS 2 esteja operando durante a Copa, como prevê o planejamento da Infraero, Porto Alegre não ficará livre de eventuais atrasos ou cancelamentos de voos por causa do nevoeiro, adverte Hoffman. O aeroporto Afonso Pena, em Curitiba, dispõe do sistema e no ano passado só não ficou mais tempo fechado do que o Salgado Filho. "O ILS 2 diminui a incidência de fechamentos, mas não a totalidade. Só o ILS 3 permite pousos com visibilidade e teto zero. Mas antes de pensar nele o Salgado Filho tem que resolver outros problemas, como o comprimento da pista", destaca Hoffman.
Por esse motivo, a Força Aérea Brasileira (FAB) e Anac elaboraram um plano B para o Salgado Filho durante a Copa. Os detalhes foram divulgados na última sexta-feira (21), durante apresentação em Brasília. Em caso de fechamento, os voos poderão ser direcionados para outros aeroportos. O principal ponto de apoio para viagens de autoridades, internacionais e domésticas, será Florianópolis, em Santa Catarina.
As cidades de Caxias do Sul e Pelotas serão alternativas iniciais para voos domésticos, enquanto Passo Fundo pode ser usada para táxi aéreo. A Base Aérea da FAB em Canoas, na Região Metropolitana, também servirá ao desembarque de autoridades durante a Copa.
Fonte: G1

_________________
Carlos Amilckar

Amilckar
Colaborador - Notícias de aviação
Colaborador - Notícias de aviação

Masculino
Inscrito em : 12/10/2009
Mensagens : 10849
Reputação : 494
Idade : 51
Simulador preferido : FSX
Emprego/lazer : Militar aposentado
Nacionalidade : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum