Voo Virtual
Olá, seja bem-vindo(a) ao Voo Virtual. Caso ainda não seja membro da nossa comunidade, registre-se, para que possa participar ativamente e ter acesso a todos os conteúdos do site.
Por favor leia as regras do fórum aqui antes de postar, para evitar advertências e suspensão.


[Internacional] Marrocos quer atrair a Embraer

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Internacional] Marrocos quer atrair a Embraer

Mensagem por Amilckar em Seg 03 Fev 2014, 21:26

Marrocos quer atrair a Embraer



NAÇÃO TEM MAIS DE CEM EMPRESAS DO SETOR INSTALADAS EM SEU TERRITÓRIO. PEÇAS PRODUZIDAS ALI SÃO EXPORTADAS ATÉ PARA O BRASIL.
 

Aurea Santos



Casablanca – O Marrocos está trabalhando para desenvolver seu setor de tecnologia aeroespacial. Desde 2001, mais de cem empresas do ramo se instalaram no país e as receitas de exportação desde então já contabilizaram US$ 1 bilhão. As peças produzidas vão para diversas nações da Europa, Golfo e também para o Brasil. Atualmente, com foco no mercado francês, até 2020, o país quer dobrar o tamanho de sua cadeia de produção aeroespacial, atraindo novas empresas, como as inglesas, norte-americanas e brasileiras.

El-Andaloussi: dobrar setor aeroespacial


“Tivermos reuniões com altos executivos da Embraer nos últimos dois anos. Eles mandaram pessoas aqui para ver as condições de capacitação do Marrocos. Acredito que este país é interessante para eles”, afirmou Hamid Benbrahim El-Andaloussi, presidente do Grupo das Indústrias Marroquinas Aeronáuticas e Espaciais (Gimas), em entrevista a jornalistas brasileiros.


Segundo Andaloussi, a Embraer está negociando a venda de aviões para a Royal Air Maroc e uma compensação com o governo marroquino, que poderia ser a instalação de um centro de manutenção no país, mas nada foi definido ainda. No entanto, o executivo aposta na boa localização de seu país para atrair a empresa brasileira.


“A decisão de implementar uma base aqui é uma questão estratégica, e isso leva tempo, mas uma empresa global como a Embraer não pode ignorar o Marrocos. Se você quer ser competitivo para penetrar na Europa, você tem que estar no Marrocos. Nós temos o melhor custo com o melhor benefício (para as empresas aéreas)”, avaliou o presidente do Gimas. Procurada pela ANBA, a Embraer afirmou que não comenta possibilidades de negócios.


Em relação aos voos diretos entre Casablanca e São Paulo pela Royal Air Maroc, iniciados no começo de dezembro de 2013, Andaloussi disse que ainda não tem os números de passageiros que já fizeram esta rota, mas crê que os resultados sejam positivos. “Acredito que esteja indo bem e que vá crescer com a Copa (do Mundo)”, destacou.


De acordo com o presidente do Gima, a ambição do Marrocos no ramo aeronáutico “é ser a base neste setor para a Europa como o México é para os Estados Unidos”. “Queremos que nos próximos 20 anos, Casablanca seja um polo de tecnologia e treinamento”, ressaltou.


Capacitação


Para alcançar este objetivo, o Marrocos fundou em 2011 o Instituto das Profissões Aeronáuticas (Ima, na sigla em francês). O lugar foi criado em parceria pelos setores público e privado para capacitar trabalhadores de acordo com as demandas das empresas aeronáuticas instaladas no país. Atualmente, a Bombardier é a maior empresa atendida pelo Ima.


Nas aulas, os alunos aprendem desde a fabricação até a montagem das peças. Desde sua criação, mais de mil trabalhadores já se formaram no centro, 10% deles para a indústria canadense. Os treinamentos são feitos de forma customizada para cada companhia e os alunos também passam por capacitação dentro das próprias plantas industriais.


O investimento para a construção e aparelhamento do centro foi de 100 milhões de dirhans (US$ 12 milhões pela conversão atual). Os alunos são recrutados pelo próprio Ima, de acordo com o pedido das empresas, e o custo do treinamento para eles é gratuito, bancado metade pelo instituto e metade pelas companhias que solicitam a capacitação. No total, o Ima já atendeu mais de 40 empresas instaladas no Marrocos.

Laprade: Embraer é terceiro maior cliente


Uma das empresas aeronáuticas instaladas no Marrocos é a Aircelle, parte do grupo francês Safran. Fabricante de turbinas para aviões, a indústria abriu sua planta no país em 2005 e, desde 2008 peças produzidas no país árabe são vendidas para a Embraer, após serem montadas na França.
“A Embraer é nosso terceiro maior cliente, após a Bombardier e a Airbus”, contou Benoit Martin Laprade, gerente geral. Entre as peças produzidas no Marrocos para os aviões brasileiros estão compostos que reduzem até 90% do ruído do motor da aeronave, instalados em modelos do tipo 170.
Rolls Royce, GE, Cessna e Sukhoi também estão na lista de clientes da Aircelle Maroc. No ano passado, o faturamento da planta de Casablanca foi de 101 milhões de euros (US$ 138 milhões pela conversão atual).



Fonte / foto:  Agência de Notícias Brasil-Árabe (ANBA)/ Embraer
Via: Poder Aéreo

_________________
Carlos Amilckar

Amilckar
Colaborador - Notícias de aviação
Colaborador - Notícias de aviação

Masculino
Inscrito em : 12/10/2009
Mensagens : 10849
Reputação : 494
Idade : 51
Simulador preferido : FSX
Emprego/lazer : Militar aposentado
Nacionalidade : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum