Voo Virtual
Olá, seja bem-vindo(a) ao Voo Virtual. Caso ainda não seja membro da nossa comunidade, registre-se, para que possa participar ativamente e ter acesso a todos os conteúdos do site.
Por favor leia as regras do fórum aqui antes de postar, para evitar advertências e suspensão.


[Brasil] Não basta ter jato particular, ele tem de ter a cor e o couro certos

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Brasil] Não basta ter jato particular, ele tem de ter a cor e o couro certos

Mensagem por Amilckar em Qui 02 Maio 2013, 18:34

Não basta ter jato particular, ele tem de ter a cor e o couro certos


Marco Túlio Pellegrinni, vice-presidente de Operações da Embraer Aviação Executiva: cliente de jato particular busca “luxo inteligente, um conceito que presta mais atenção aos detalhes. Fotos: Claudio Belli/Valor

Gosto não se discute. Quando o assunto é o design do interior de um jato executivo, as possibilidades hoje são infinitas para agradar aos mais diversos estilos e exigências de um público que compra um avião para ser usado como ferramenta de trabalho e produtividade ou simplesmente para ter mais privacidade.

Na Embraer, fabricante que cresceu 15% em receita 2012, enquanto o restante da indústria amargou uma perda de 2%, o cliente que optar pela compra de um jato Lineage, o modelo mais caro da empresa, que custa US$ 55 milhões, tem à sua disposição 700 opções de tecido, 400 de couro, 60 de carpete e quase 6 mil configurações diferentes para a cabine.

Detalhes como cores, conforto e decoração interna deixaram de ser sinônimo de luxo, no sentido puro de opulência, e passaram a ter um peso importante na hora da compra de uma aeronave executiva. É a busca do chamado “luxo inteligente”, um conceito que presta mais atenção aos detalhes e às necessidades dos usuários, explica o vice-presidente de Operações da Embraer Aviação Executiva, Marco Túlio Pellegrinni.

“O cliente não olha a máquina de ar condicionado do avião, mas repara na qualidade do verniz do mobiliário, no tipo de tecido do assento e nos sistemas de entretenimento disponíveis”, destaca.

Foi para atender ao desejo de um dos seus clientes da China, por exemplo, que a Embraer desenvolveu um carpete com detalhes em seda. Em algumas situações, mesmo depois de ter participado da escolha de cada item do interior da aeronave e visualizado o projeto digitalmente, o cliente decide devolver o avião e arcar com os custos de uma pequena ou grande mudança.

“Tivemos um cliente que devolveu o avião que acabara de receber e pediu a troca do carpete por um novo tipo de piso em pedra de mármore, que ele viu em outra aeronave estacionada no hangar de entrega”, relata o vice-presidente da Embraer. O avião em questão era um Legacy 650, avaliado em US$ 30 milhões.

A experiência de voar os jatos antes de comprá-los também é uma prática comum entre os endinheirados. “Num desses voos, o cliente levou a família e alguns itens de bagagem, como a prancha de surf do filho e sacolas de golfe, para ver se cabiam na aeronave”, conta Pellegrinni.

Pellegrinni comenta que a equipe de engenheiros de designer de interior de jatos executivos da Embraer já passou semanas tentando fazer o ajuste de um tom de tinta verde até que ela atingisse o padrão de cor escolhido pelo cliente.
O serviço de customização do interior da aeronave permite até a produção de um carpete desenhado inteiro com o logotipo da empresa do proprietário da aeronave, opção que, inclusive, já foi pedida por um dos clientes da Embraer, lembra o executivo.

O conceito de luxo inteligente, de acordo com Pellegrinni, significa ainda uma área interna aconchegante, com mesa de jantar e um sofá que se transforma em cama, numa região completamente privada.

“No caso do Lineage, esse lugar lembra a suíte de 74 metros quadrados de um quarto de hotel de luxo em Nova York.” É o que a Embraer chama de “home away from home” (casa longe de casa).

“A ideia é oferecer todas as facilidades de uma casa sem comprometer a operação, os custos operacionais e a alta confiabilidade da aeronave”, comenta o executivo. O Lineage é o único em sua categoria hoje no mundo que oferece como opção standard, uma cabine privativa com espaço para cama de casal e banheiro com chuveiro.

A instalação de um centro de design em Melbourne, na Flórida, sul dos Estados Unidos, e a expansão da fábrica de móveis de Gavião Peixoto são exemplos da nova estratégia da Embraer para conquistar clientes de jatos executivos, afirma Pellegrinni.

A empresa estima um crescimento entre 20% e 25% na receita da aviação executiva em 2013. No ano passado, esse segmento gerou um faturamento de nada menos do que US$ 1,3 bilhão.

A Embraer já entregou mais de 600 jatos executivos em todo o mundo, sendo 80% deles nos últimos cinco anos. O Phenom 300, para até 8 passageiros, foi o jato mais entregue no mundo na sua categoria em 2012.
Quando decidiu entrar com força no mercado de aviação executiva, a Embraer contratou a BMW Designworks para ajudar a desenvolver o interior dos jatos Phenom 100 e Phenom 300.

Dois anos depois, o Phenom 100 se tornou o jato executivo mais entregue no mundo e hoje conta com um número superior a 200 aeronaves em operação.

“A parceria com a BMW provocou uma mudança de paradigma na indústria de aviação, ao trazer alguém de fora para fazer desenvolvimento do interior de uma aeronave”, lembra. Três anos depois, a francesa Dassault seguiu o mesmo caminho”, lembra Pellegrinni. E isso criou uma “escola”. A fábrica automóveis alemã Porsche, a exemplo da BMW, também decidiu criar um estúdio para oferecer serviços de design de interiores de aviões para os fabricantes de jatos.

Hoje, mais estruturada e amadurecida no segmento de aviação executiva, a Embraer já caminha com as próprias pernas. Conta com uma equipe de 25 engenheiros no seu novo centro de engenharia de interiores, criado nos Estados Unidos há cerca de um ano.

“É uma competência tão essencial e estratégica para a empresa que não podemos mais delegar essa atividade para terceiros”, justifica. No mercado de aviação executiva, segundo ele, a inovação tecnológica é que faz a diferença e a Embraer, mais do que a BMW, conhece melhor o que os clientes esperam porque vivencia essa operação no dia a dia do seu trabalho.

Fonte: Valor Econômico, Por Virgínia Silveira

Amilckar
Colaborador - Notícias de aviação
Colaborador - Notícias de aviação

Masculino
Inscrito em : 12/10/2009
Mensagens : 10849
Reputação : 494
Idade : 51
Simulador preferido : FSX
Emprego/lazer : Militar aposentado
Nacionalidade : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum