Voo Virtual
Olá, seja bem-vindo(a) ao Voo Virtual. Caso ainda não seja membro da nossa comunidade, registre-se, para que possa participar ativamente e ter acesso a todos os conteúdos do site.
Por favor leia as regras do fórum aqui antes de postar, para evitar advertências e suspensão.


[Brasil] Viracopos se torna rota de tráfico mundial

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Brasil] Viracopos se torna rota de tráfico mundial

Mensagem por Amilckar em Seg 10 Set 2012, 08:46

Viracopos se torna rota de tráfico mundial



Com três voos semanais para a Europa, aeroporto já é usado por "mulas"; só neste ano, foram 20 apreensões de cocaína

Ricardo Brandt




Desde o começo do ano, 20 pessoas foram presas pela Polícia Federal por tráfico internacional de cocaína no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP) - a maioria estrangeiros. O terminal tem sido usado como nova rota de envio da droga para a Europa, e os principais destinos foram Portugal e Espanha. Só no mês passado, foram presas duas "mulas" (pessoas aliciadas para transportar a cocaína) nigerianas com destino a Lisboa.

A rota do tráfico via Viracopos se intensificou a partir de 2011, segundo a PF, após o aeroporto colocar em funcionamento, no fim de 2010, a rota Brasil-Portugal. Viracopos tem três saídas semanais para Lisboa, pela TAP.

No ano passado, foram 80 prisões por tráfico (incluídas outras drogas, a maioria cocaína). Já o Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, bateu o recorde mundial de apreensões da droga em 2011:362 prisões com 26 destinos de voos internacionais. Ou seja, Viracopos, que tem um centésimo dos passageiros internacionais de Cumbica (112 mil contra 11 milhões em 2011), teve pouco mais que um quinto das apreensões do maior aeroporto do País.

Para o delegado da PF responsável pela unidade de Viracopos, Hermógenes de Freitas Leitão Neto, houve queda de casos em 2012 por causa do aumento da fiscalização e das apreensões.

Rota. A rota por Viracopos segue no Brasil a tradicional trilha de passagem da cocaína que vai para a Europa: vinda dos países produtores andinos, entra no Brasil por rodovias e em pequenas aeronaves e chega a São Paulo, para seguir para a Europa. O Relatório Mundial sobre Drogas, divulgado pela Organização das Nações Unidas em 2010, aponta que o Brasil se tornou na última década rota logística para envio de drogas para a Europa.

Em Viracopos, das 20 apreensões feitas de janeiro a agosto, seis tinham como destino Portugal e quatro Espanha. Outros dez países estão na lista de destino da cocaína apreendida em Campinas. O delegado Leitão Neto explica que os traficantes buscam todas as portas de saída. Pelos cálculos de um agente da PF, um quilo da cocaína concentrada pode ser transformado em até 25 quilos. Na Europa, o quilo pode custar até 50 mil.

Disfarces. A maior apreensão de cocaína feita em Viracopos aconteceu em abril de 2011, quando uma jovem de 23 anos, de Cabo Verde, na África, foi presa com 24 quilos escondidos em uma mala cheia de sutiãs. A droga seria levada para Marrocos, com escala em Lisboa.

Em 2012, a maioria dos casos de apreensão foi de mulas que ingeriram a droga dentro de cápsulas. No dia 2 de agosto, um nigeriano que vivia em São Paulo carregava 33 cápsulas dentro do corpo e passou mal após uma delas ficar entalada no aparelho digestivo. O preso ficou dez dias internado e passou por cirurgia para retirada da droga.

Mas há os casos de disfarces engenhosos. Houve registros de quadrilhas que tentaram esconder a droga em fundos falsos de mala, dentro de uma estátua de coruja, em um livro infantil e até em toalhas do Corinthians.

Fiscalização foi reforçada com agentes e aparelhos. A explosão de casos de apreensão de cocaína em Viracopos a partir de 2011 fez a Polícia Federal reforçar o combate ao crime organizado no terminal. Até o início do ano, a polícia tinha três pessoas no aeroporto. Em 2012, um delegado, um escrivão e mais um cão farejador foram colocados em uma unidade montada oficialmente. Os agentes também ganharam um espectrômetro de massa, aparelho que identifica de traços de drogas a explosivos.

Um dos maiores problemas ainda existentes é a falta de um scanner de corpo, que já foi solicitado para o Ministério da Justiça, chegou a ser comprado, mas acabou sendo enviado para Cumbica, onde agora há dois equipamentos. Hoje, toda pessoa suspeita de carregar droga dentro do organismo precisa ser levada para um hospital. E a principal arma da PF para capturar traficantes é a observação de comportamentos suspeitos.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Via: NOTIMP

_________________
Carlos Amilckar
avatar
Amilckar
Colaborador - Notícias de aviação
Colaborador - Notícias de aviação

Masculino
Inscrito em : 12/10/2009
Mensagens : 10989
Reputação : 505
Idade : 51
Simulador preferido : P3D V3
Emprego/lazer : Militar aposentado
Nacionalidade : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum